Comércio Exterior

Tipos de embalagens para exportação: a importância dessa escolha!

Avatar
Escrito por Conteflex

Você já parou para pensar sobre a importância dos tipos de embalagens para exportação? Pois podemos adiantar que o acondicionamento correto é responsável pela conservação e integridade dos produtos, desde o armazenamento até sua chegada ao destino.

Além disso, as embalagens também podem afetar a decisão de compra do consumidor e ajudar a empresa a se comunicar de forma mais clara com os clientes no ponto de venda. Por meio desse recurso, portanto, a empresa pode alcançar mais espaço no mercado externo, aumentando significativamente suas vendas.

Quando falamos especificamente em exportação, esse item é ainda mais relevante, uma vez que é preciso cumprir exigências internacionais. Sem isso, todo o sucesso da operação e a segurança do produto podem ser prejudicados.

No post de hoje, trataremos da importância das embalagens para o processo de exportação, como escolher e os tipos existentes. Vamos lá?

Quais são os tipos de embalagens para exportação?

As embalagens precisam se adequar às necessidades e particularidades do produto. Por isso, existem diferentes tipos de acondicionamento. Entre os principais estão os que você vai conhecer a partir de agora!

Transporte

Como o próprio nome já indica, a embalagem de transporte é voltada para o deslocamento dos produtos. É mais resistente e deve levar em conta alguns elementos obrigatórios pela legislação — como código de barras, que permite visualizar o produto dentro da supply chain.

Big Bag é um ótimo exemplo de embalagem de transporte, muito utilizada para a exportação de produtos sólidos, como café, açúcar, milho, amendoim, minérios e petroquímicos, entre outros.

Prateleira

A embalagem de prateleira é destinada ao consumidor final, geralmente ficando em exposição no ponto de venda. Deve ser segura e atrativa para chamar a atenção dos consumidores. A proteção é simples e o apelo é bem mais estético que logístico.

Unitização

Esse modelo tem o objetivo de reunir um conjunto de produtos em uma embalagem com medidas padronizadas. Isso facilita o transporte e o armazenamento adequados, assegurando a proteção das mercadorias acondicionadas.

Paletização

Os produtos são dispostos em embalagens secundárias ou terciárias, localizadas em um pallet. As mercadorias são fixadas com cintas e o conjunto é transportado por meio de empilhadeiras.

Conteinerização

Esse sistema é similar ao da unitização, mas aqui os conjuntos são reunidos em um contêiner. Com mais espaço e resistência para o transporte, é voltado para a exportação de produtos em maior escala.

Pré-lingagem

Esse outro modelo de unitização é simplificado e as embalagens são envolvidas com redes especiais, de nylon ou corda. A pré-lingagem é mais usada para o transporte em altura.

Como escolher a embalagem mais adequada?

A resposta para essa pergunta passa por diferentes etapas. Veja a seguir algumas dicas para selecionar o modelo mais adequado de embalagens para exportação!

Considere as etapas logísticas

O processo logístico é complexo e interfere diretamente na escolha da embalagem. Pense desde a saída do produto da empresa até a chegada ao consumidor final. Considere todos os modais de transporte necessários e a movimentação sofrida pela mercadoria. A escolha deve ser compatível com a resistência e a adaptabilidade exigidas.

Otimize o espaço mantendo a segurança

A embalagem adequada deve otimizar o espaço disponível, evitando desperdícios. Só não esqueça de sempre manter o foco na segurança. Por isso, opte por um modelo compacto, que esteja aliado à integridade e à estabilidade do que será acondicionado.

Quais as consequências de uma escolha errada?

A exportação é uma operação de transporte longa, que sempre tem seus percalços. Nesse cenário, a embalagem tem a função de conservar a mercadoria e garantir sua entrega de acordo com as especificações, sem qualquer tipo de vazamento ou dano. Uma escolha errada pode ocasionar problemas no produto, levando à restrição de sua venda no mercado internacional. Vale destacar que, como certos países têm exigências específicas, é preciso ficar atento.

Outro ponto relevante é que a escolha correta das embalagens para exportação viabiliza um processo logístico de maior qualidade, bem-sucedido. É por meio desse recurso que o produto pode ingressar e sair de diversas cadeias logísticas, sem contar que isso chama a atenção do consumidor, o que ajuda a elevar as vendas no exterior.

Quais as principais regras para embalagens de exportação?

Um fator que não pode esquecido diz respeito às exigências do mercado nacional e internacional para que o processo de logística corra bem, sem maiores problemas. Confira!

Padrões de embalagem

As embalagens para exportação devem seguir requisitos técnicos e legais a fim de atender a exigências ambientais e também de saúde. Para facilitar o entendimento do consumidor, é fundamental que as informações impressas estejam no idioma do país para o qual os produtos serão enviados.

Produtos perecíveis, por exemplo, devem ser acondicionados em embalagem primária, neutra, sem impressão. Lembre-se de que essa embalagem permanece em contato direto com a mercadoria, servindo para proteger sua integridade, desde o armazenamento até sua chegada ao cliente final.

Além do mais, podem existir regras culturais específicas de cada país que influenciam nesse processo. Para não cometer erros, é fundamental conhecer as particularidades dos países de exportação, de modo a atingir o público certo e conseguir ganhar maior diferencial no mercado.

Certificação para exportação

As embalagens feitas com recursos florestais como fonte primária devem ter a certificação do Forest Stewardship Council. Para não ficar em dúvida, o ideal é fazer uma consulta junto ao Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

Procedimentos para rotulagem

A marcação e a rotulagem dos produtos e volumes destinados à exportação são feitas com base no nome da empresa e na declaração de sua origem brasileira. A exceção dessa regra é voltada apenas para o caso de bebidas transportadas por via fluvial, terrestre ou marítima.

O rótulo deve ter impressa a expressão For export only — apenas para exportação. Assim, fica proibida sua venda no mercado brasileiro. Em casos especiais, essa regra pode ser adaptada, seguindo as normas da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (SECEX):

  • rotulagem tipo I: programas de selo verde (NBR ISO 14024);
  • rotulagem tipo II: autodeclarações ambientais (NBR ISO 14021);
  • rotulagem tipo III: avaliação do ciclo de vida (NBR ISO 14025).

Normas técnicas

As embalagens para exportação também devem estar de acordo com as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Seu objetivo é orientar sobre todas as regras necessárias, a fim de alcançar os padrões de qualidade exigidos. Confira as principais:

  • lei 12.305, de 2010: a Política Nacional de Resíduos Sólidos cuida do gerenciamento de resíduos, da aplicação de recursos financeiros e das responsabilidades governamentais;

  • lei 9.974, de 2000: aborda questões de embalagem, produção, rotulagem, armazenamento, transporte, comercialização (importação e exportação), destino de resíduos, fiscalização de agrotóxicos, entre outros;

  • lei 9.832, de 1999: proíbe o uso industrial de embalagens metálicas, produzidas com liga de estanho e chumbo, para o acondicionamento de alimentos — com exceção de produtos desidratados e secos;

  • lei 9.605, de 1998: define sanções para empresas que praticam atividades e condutas que provocam danos ao meio ambiente, incluindo o gerenciamento inadequado de resíduos sólidos.

Seguir todas essas recomendações nem sempre é fácil, mas é assim que a empresa consegue alcançar maior eficiência no processo de escolha de embalagens para exportação. Lembre-se de que assim é possível otimizar a logística envolvida e ainda atender a demandas específicas desses mercados.

Entendeu por que os tipos de embalagens para exportação são tão importantes? Aproveite e entre em contato conosco para conhecer as opções que temos para ajudá-lo nesse processo!

Sobre o autor

Avatar

Conteflex

A Conteflex é ,hoje, uma das maiores e mais respeitadas empresas do setor de produção de Big Bags do país. Com aproximadamente 1325 funcionários, representantes espalhados em todo Brasil que atuam em diversos mercados como: alimentício, fertilizante, minério, petroquímico, açúcar e outros, sendo reconhecida pela qualidade de seus produtos, sistema de gestão integrado, atendimento personalizado e excelente quadro de colaboradores.

Deixar comentário.

Share This